Melhore a coleta de sinal no seu osciloscópio: Verifique a rejeição no modo comum

Ponta de Prova Ativa Keysight N2797A 1,5GHz Temperaturas Extremas

Realizar a análise dos seus sinais no osciloscópio vai te trazer inúmeras e importantes informações. Dessa forma, o processo precisa ser realizado da forma correta e principalmente respeitando as capacidades e metodologias que o seu aparelho impõe. Contudo, nem sempre conseguimos fazer tudo e por vezes acabamos deixando alguns detalhes passarem que no final farão uma diferença significativa na nossa análise. Por isso, nessa sequência de matérias intitulada Melhore a coleta de sinal no seu osciloscópio, iremos dar dicas dos principais pontos que você precisa se ater durante a sua análise. Nessa matéria falaremos sobre a verificação da rejeição no modo comum. Você sabe o que é isso? Sabe como realizar esse procedimento? Ficou interessado? Então continua ai e boa leitura!

Uma das questões mais mal compreendidas na coleta de sinais é que a rejeição no modo comum pode limitar a qualidade de uma medição. Seja com uma ponta de terminação simples ou diferencial, sempre vale a pena conectar os dois terminais da ponta ao terra do DUT e ver se algum sinal aparece na tela.

Conecte os dois terminais da ponta ao terra e veja se algum sinal é mostrado na tela

Se aparecer algum sinal, ele mostrará o nível de corrupção do sinal provocado por uma baixa rejeição no modo comum. Correntes de ruído no modo comum provocadas por outras fontes que não o sinal medido podem fluir do terra do DUT pelo terra da ponta de prova até a blindagem do cabo da ponta. Fontes de ruído no modo comum podem ser internas do DUT ou externas a ele, como o ruído na linha de alimentação e correntes EMI ou BSD.

Um condutor de aterramento longo em uma ponta de prova de terminação simples pode tornar esse problema bastante significativo. Uma ponta de terminação simples sofre bastante com uma baixa rejeição no modo comum. Pontas de prova diferenciais ativas oferecem relações de rejeição no modo comum muito maiores, tipicamente de até 80 dB (10.000:1).

A ponta de prova diferencial ativa oferece uma relação de rejeição no modo comum muito maior, eliminando efetivamente a corrente de ruído no modo comum.

Verificar a rejeição no modo como pode te dar um norte de como proceder a sua análise, caso os resultados não estejam saindo como esperado. É muito importante ficar atento a esse aspecto, para que o seu trabalho não seja prejudicado. Então, aprendeu tudo o precisava sobre esse tema? Aproveita e confere todo o conteúdo e produtos disponíveis no portal Datasonic, pioneiro em equipamentos tecnológicos de ponta que se destaca pela sua diversidade de marcas, modelos e principalmente preços está a sua disposição para que você possa tirar todas as suas dúvidas, comparar preços e por fim, escolher o melhor produto para você. No site é possível encontrar inúmeros modelos de osciloscópios com os mais diversos recursos e configurações e equipamentos relacionados. O portal Datasonic possui um amplo portfólio e um leque de variados produtos, todos à sua disposição. Aproveite e conheça outros equipamentos de medição que irão complementar o seu projeto.

O Portal Datasonic está disponível para você 24 horas por dia, 7 dias na semana. Apenas esperando você vir e conferir toda a tecnologia em equipamentos que disponibilizamos para você e sua empresa. Está esperando o que? Visite-nos agora mesmo.

Acesse: www.datasonic.com.br

Melhore a coleta de sinal no seu osciloscópio: Verifique o acoplamento da ponta de prova

Realizar a análise dos seus sinais no osciloscópio vai te trazer inúmeras e importantes informações. Dessa forma, o processo precisa ser realizado da forma correta e principalmente respeitando as capacidades e metodologias que o seu aparelho impõe. Contudo, nem sempre conseguimos fazer tudo e por vezes acabamos deixando alguns detalhes passarem que no final farão uma diferença significativa na nossa análise. Por isso, nessa sequência de matérias intitulada Melhore a coleta de sinal no seu osciloscópio, iremos dar dicas dos principais pontos que você precisa se ater durante a sua análise. Nessa matéria falaremos sobre o acoplamento das pontas de prova. Você sabe como realizar esse processo? Ficou interessado? Então continua ai e boa leitura!

Tendo a sua ponta de prova conectada a um sinal, mude a posição do cabo da ponta e segure-o em suas mãos. Se a forma de onda na tela apresentar alguma variação significativa, haverá um acoplamento de energia na blindagem da ponta que provoca essa variação.

O uso de um núcleo de ferrita no cabo da ponta de prova pode ajudar a melhorar a precisão da coleta do sinal, pela redução das correntes de ruído do modo comum na blindagem do cabo. O núcleo de ferrita no cabo da ponta de prova cria uma impedância em paralelo com um resistor no condutor. A inclusão do núcleo de ferrita no cabo da ponta de prova raramente afeta o sinal, porque esse sinal passa pelo condutor central e volta pela blindagem; dessa forma, nenhuma corrente do sinal flui pelo núcleo.

O uso de um núcleo de ferrita no cabo da ponta de prova pode ajudar a melhorar a precisão da coleta do sinal

O uso de um núcleo de ferrita no cabo da ponta de prova pode ajudar a melhorar a precisão da coleta do sinal

A posição do núcleo de ferrita no cabo é importante. Por conveniência, você poderia ficar tentado a colocar o núcleo na extremidade do cabo do lado do osciloscópio, o que deixa a cabeça da ponta de prova mais leve e fácil de ser manejada. Entretanto, se o núcleo for colocado nessa extremidade, terá a sua eficiência muito reduzida.

A redução do comprimento do condutor de aterramento de uma ponta de terminação simples pode ajudar em alguns casos. A troca por uma ponta de prova diferencial normalmente é o que mais ajuda. Muitos usuários não entendem que o ambiente do cabo da ponta de prova pode provocar variações em suas medições, especialmente em altas frequências, o que pode levar a frustrações em relação à repetibilidade e qualidade das medições

Aprendeu tudo o precisava sobre esse tema? Então aproveita e confere todo o conteúdo e produtos disponíveis no portal Datasonic, pioneiro em equipamentos tecnológicos de ponta que se destaca pela sua diversidade de marcas, modelos e principalmente preços está a sua disposição para que você possa tirar todas as suas dúvidas, comparar preços e por fim, escolher o melhor produto para você. No site é possível encontrar inúmeros modelos de osciloscópios com os mais diversos recursos e configurações e equipamentos relacionados. O portal Datasonic possui um amplo portfólio e um leque de variados produtos, todos à sua disposição. Aproveite e conheça outros equipamentos de medição que irão complementar o seu projeto.

O Portal Datasonic está disponível para você 24 horas por dia, 7 dias na semana. Apenas esperando você vir e conferir toda a tecnologia em equipamentos que disponibilizamos para você e sua empresa. Está esperando o que? Visite-nos agora mesmo.

Acesse: https://datasonic.com.br

Obtenha o melhor do seu osciloscópio: Lembre-se, as pontas de prova importam

Ponta de Prova Ativa Siglent SPA1000

O osciloscópio é um aparelho utilizado na verificação de parâmetros importantes de sinais elétricos utilizado em diversos setores e com vários objetivos, contudo, o aparelho não trabalha sozinho, o mesmo precisa de uma série de dispositivos que o auxiliam na execução da sua tarefa. Muitas vezes nem consideradas durante o processo, apesar de fundamentais ao funcionamento do osciloscópio, as pontas de prova são essenciais para que o sinal seja captado da melhor forma, podendo até influenciar no resultado final da análise. Uma questão é muito importante, as pontas de prova importam sim, mas então você sabe tudo o que precisa saber sobre esses dispositivos? Então continua nesse artigo e vem descobrir tudo sobre esse mecanismo. Boa leitura!

Escolha a ponta de prova certa para o seu osciloscópio

As pontas de prova são usadas para conectar seu osciloscópio ao seu dispositivo em teste (DUT), e são cruciais para otimizar a integridade do sinal. Existem literalmente centenas de diferentes tipos de pontas de prova disponíveis, então como você escolhe a correta? Não há uma resposta única porque todos os projetos são diferentes. Mas aqui estão algumas características diferentes das pontas de prova que você deve considerar antes de tomar uma decisão.

Largura de banda

A largura de banda de uma ponta de prova descreve quão alto de frequência ela é capaz de transmitir ao osciloscópio. Suas pontas de prova devem ser pelo menos 3x a 5x mais rápidas que o sinal mais rápido que você deseja ver.

Relação de atenuação

As pontas de prova possuem proporções de atenuação diferentes (às vezes selecionáveis) que alteram a forma como os sinais são alimentados no seu osciloscópio. Uma taxa de atenuação mais alta permitirá que você observe tensões mais altas, mas também tornará o ruído interno do amplificador do osciloscópio mais pronunciado. Taxas de atenuação baixas significam que você verá menos ruído no osciloscópio, mas terá mais carga no sistema distorcendo seu sinal.

Carregamento da ponta de prova

Nenhuma ponta de prova é capaz de reproduzir perfeitamente seu sinal porque, quando você conecta a ponta de prova em um circuito, ela se torna parte desse circuito. Esse fenômeno é chamado de carregamento. Carregar desnecessariamente o sistema pode levar à medições imprecisas e até alterar a forma de onda exibida na tela do osciloscópio.

Carga resistiva: é uma boa ideia garantir que a resistência da sua ponta de prova seja superior a dez vezes a resistência da fonte, a fim de obter uma redução de amplitude inferior a 10%.

Carga capacitiva: é importante verificar se a capacitância especificada da sonda se encaixa nos parâmetros de seu projeto.

Carga indutiva: também é importante reduzir a carga indutiva (aparece como um ruído no seu sinal) usando o menor fio possível.

Pontas de prova passivas x ativas

As pontas de prova passivas geralmente são baratas, fáceis de usar e robustas. Elas são um tipo versátil e preciso de ponta de prova. Geralmente produzem carga capacitiva relativamente alta e carga resistiva baixa. São úteis para detectar sinais com larguras de banda menores que 600 MHz. Uma vez ultrapassada essa frequência, é necessária uma sonda ativa.

As pontas de prova ativas usam componentes ativos para amplificar ou condicionar um sinal e requerem uma fonte de alimentação para operar. São capazes de suportar larguras de banda de sinal muito maiores e portanto, consideravelmente mais caras além de menos robustas que as pontas de prova passivas. Costumam ter menos carga do que as passivas.

 As pontas de prova passivas são ótimas para medições qualitativas, como verificar frequências do relógio, procurar bugs entre outros, porém, apesar de as pontas ativas custarem mais que as passivas, elas podem fazer uma grande diferença na precisão da sua medição.

Conheça um pouco mais sobre os tipos de pontas de prova conferindo esse vídeo.

Então, está convencido de que as pontas de prova também são equipamentos indispensáveis para o sucesso das suas análises? Aprendeu tudo o precisava sobre esses dispositivos? Então, confere todo o conteúdo e produtos disponíveis no portal Datasonic, pioneiro em equipamentos tecnológicos de ponta que se destaca pela sua diversidade de marcas, modelos e principalmente preços está a sua disposição para que você possa tirar todas as suas dúvidas, comparar preços e por fim, escolher o melhor produto para você. No site é possível encontrar inúmeros modelos de osciloscópios com os mais diversos recursos e configurações. O portal Datasonic possui um amplo portfólio e um leque de variados produtos, todos à sua disposição. Aproveite e conheça outros equipamentos de medição que irão complementar o seu projeto.

O Portal Datasonic está disponível para você 24 horas por dia, 7 dias na semana. Apenas esperando você vir e conferir toda a tecnologia em equipamentos que disponibilizamos para você e sua empresa. Está esperando o que? Visite-nos agora mesmo.

Acesse: www.datasonic.com.br

Melhore a coleta de sinal no seu osciloscópio: Ponta de prova passiva ou ativa?

Realizar a análise dos seus sinais no osciloscópio vai te trazer inúmeras e importantes informações. Dessa forma, o processo precisa ser realizado da forma correta e principalmente respeitando as capacidades e metodologias que o seu aparelho impõe. Contudo, nem sempre conseguimos fazer tudo e por vezes acabamos deixando alguns detalhes passarem que no final farão uma diferença significativa na nossa análise. Por isso, nessa sequência de matérias intitulada Melhore a coleta de sinal no seu osciloscópio, iremos dar dicas dos principais pontos que você precisa se ater durante a sua análise. Nessa matéria falaremos sobre pontas de prova passiva e ativa, você sabe que é isso? Sabe diferenciar ou quando usar? Ficou interessado? Então continua ai e boa leitura! Para as medições de uso geral em frequências de médias a baixas (abaixo de 600 MHz), as pontas de prova passivas com di­visor resistivo de alta impedância são boas opções. Estas ferramentas robustas e de baixo preço oferecem uma faixa dinâmica ampla (acima de 300 V) e alta resistência de entrada para o casamento com a impedân­cia de entrada do osciloscópio. Entretanto, elas impõem um carregamento capacitivo mais pesado e oferecem larguras de banda menores do que pontas de prova passivas de baixa impedância (zO) ou pontas de prova ativas. De maneira geral, as pontas de prova passivas de alta impedância são excelentes escolhas para depuração e eliminação de problemas de uso geral na maior parte dos circuitos analógicos ou digitais.

Em aplicações de alta frequência (acima de 600 MHz), que exigem precisão em uma ampla faixa de frequências, as pontas de prova ativas são o caminho a ser seguido. Elas têm um custo maior do que as pontas passivas e a sua tensão de entrada é limita­da, mas com o seu carregamento capacitivo significativamente menor, dão a você uma visão mais precisa dos sinais rápidos.

Na Figura 1-1, vemos capturas de telas de um osciloscópio de 600 MHz (o DS09064A da Keysight Technologies Inc.) medindo um sinal que tem um tempo de subida de 500 ps. À esquerda, a ponta de prova passiva N2873A da Keysight de 500 MHz foi usada para medir esse sinal. À direita, a ponta de prova ativa N2796A da Keysight de 2 GHz com terminação simples foi usada para medir o mesmo sinal. A curva amarela mostra o sinal antes da colocação da ponta de prova, a mesma para os dois casos. A curva verde mostra o sinal após a colocação da ponta de prova, que é o o mesmo da entrada na ponta de prova.

Figura 1-1. Comparação entre pontas de prova passiva e ativa na medição de um sinal que tem tempo de subida de 600 ps.

A curva roxa mostra o sinal medido, ou a saída da ponta de prova. Uma ponta de prova passiva carrega e re­duz o sinal com a sua resistência, indutância e capacitância de entrada (curva verde). Provavelmente você espera que a ponta de seu osciloscópio não afete os sinais do dispositivo sob teste (DUT). Entretanto, nesse caso, a ponta de prova passiva tem efeito sobre o DUT. O tempo de subida do sinal medido passa a ser 4 ns em vez do esperado 600 ps, parte devido à impedância de entrada da ponta de prova, mas também devido à sua largura de banda limitada de 500 MHz, na medição de um sinal de 583 MHz (0,35/600 ps= 583 MHz).

Os efeitos indutivo e capacitivo da ponta de prova passiva também podem provocar efeitos de overshoot e ripping na saída da ponta (curva roxa). Alguns projetistas não estão preocupados com essa quantidade de erro de medição. Para outros, essa quanti­dade de erro de medição é inaceitável. Podemos ver que o sinal praticamente não é afetado quando conectamos uma ponta ativa, como a ponta de prova ativa N2796A de 2 GHz da Keysight, ao DUT. As características do sinal após a colocação da ponta de prova (curva verde) são quase idênticas às características presentes sem a ponta de prova (curva N2796A de 2 GHz). Além disso, o tempo de subida do sinal não é afetado pela ponta, sendo mantido em 555 ps. Inclusive, a saída da ponta ativa (curva verde) é igual ao sinal coletado pela ponta (curva roxa) e mede o tempo de subida esperado de 600 ps. O uso da largura de banda de 2 GHz da ponta ativa N2796A, com fidelidade superior de sinal e baixo carregamento de ponta, torna isso possível.

Abaixo você pode conferir uma tabela resumo com as principais diferenças entre as pontas de prova passiva e ativa.

Quer conhecer um pouco mais sobre as pontas de prova? Então confere esse vídeo da Keysight Labs e Junte-se à Ally enquanto ela desvenda o mistério das pontas de prova do osciloscópio, guiando você pelos princípios básicos dos dois principais tipos. Ela explica como o circuito dentro das pontas de prova do osciloscópio difere, como isso pode afetar sua medição e ainda dá dicas para selecionar a ponta de prova correta do osciloscópio para sua necessidade específica de medição.

Utilizar as pontas de provas corretas para as suas análises é imprescindível para o sucesso dos seus resultados. Aprendeu tudo o precisava sobre as pontas de prova? Então, confere todo o conteúdo e produtos disponíveis no portal Datasonic, pioneiro em equipamentos tecnológicos de ponta que se destaca pela sua diversidade de marcas, modelos e principalmente preços está a sua disposição para que você possa tirar todas as suas dúvidas, comparar preços e por fim, escolher o melhor produto para você. No site é possível encontrar inúmeros modelos de osciloscópios com os mais diversos recursos e configurações e equipamentos relacionados. O portal Datasonic possui um amplo portfólio e um leque de variados produtos, todos à sua disposição. Aproveite e conheça outros equipamentos de medição que irão complementar o seu projeto.

O Portal Datasonic está disponível para você 24 horas por dia, 7 dias na semana. Apenas esperando você vir e conferir toda a tecnologia em equipamentos que disponibilizamos para você e sua empresa. Está esperando o que? Visite-nos agora mesmo.

Acesse: www.datasonic.com.br

Melhore a coleta de sinal no seu osciloscópio: Compensação da ponta de prova antes do uso

Realizar a análise dos seus sinais no osciloscópio vai te trazer inúmeras e importantes informações. Dessa forma, o processo precisa ser realizado da forma correta e principalmente respeitando as capacidades e metodologias que o seu aparelho impõe. Contudo, nem sempre conseguimos fazer tudo e por vezes acabamos deixando alguns detalhes passarem que no final farão uma diferença significativa na nossa análise. Por isso, nessa sequência de matérias intitulada Melhore a coleta de sinal no seu osciloscópio, iremos dar dicas dos principais pontos que você precisa se ater durante a sua análise. Nessa matéria falaremos sobre a compensação da pontas de prova, você sabe que é isso? E para que serve? Ficou interessado? Então continua ai e boa leitura!

A maior parte das pontas de prova são projetadas para combinar com as entradas de modelos específicos de osciloscópios. Entretanto, há pequenas variações de um osciloscópio a outro e até mesmo entre os canais de entrada de um mesmo osciloscópio.

Usando uma chave de fenda pequena para ajustar a capacitância variável da ponta de prova

Lembre-se de verificar a compensação da ponta de prova na primeira vez que for conectá-la na entrada de um osciloscópio, porque essa ponta pode ter sido ajustada anteriormente para uma entrada diferente. Para esse ajuste, a maior parte das pontas de prova passivas possuem redes de compensação formadas por divisores RC. A compensação da ponta de prova é o processo de ajuste do divisor RC que mantém a relação de atenuação da ponta de prova por toda a sua largura de banda nominal. Se o seu osciloscópio puder fazer a com­pensação automática da performance da ponta, faz sentido usar esse recurso. Caso contrário, use a compensação manual para ajustar a capacitância variável da ponta. A maior parte dos osciloscópios tem um sinal de onda quadrada de referência disponível no painel frontal para a compensação da ponta. Você pode conectar a ponta da sua ponta de prova ao terminal de com­pensação e conectar a saída da ponta na entrada do osciloscópio. Observando o sinal de onda quadrada de referência na tela, faça 0 ajuste na ponta usando uma chave de fenda pequena, de forma que as ondas quadradas no osciloscópio fiquem o mais quadradas possível.

Figura 1-1. O ajuste de compensação corresponde a uma onda perfeitamente quadrada

O diagrama da parte de cima da Figura 1-1 mostra como ajustar corretamente o capacitor de compensação na caixinha na extremidade da ponta de prova. Como podemos ver na figura, você pode ter picos nas tensões máxima ou mínima (overshoot ou undershoot) da onda quadrada quando 0 ajuste de baixa frequência não for feito corretamente. Isso resultará em imprecisões nas frequências altas de suas medições. É muito importante certificar-se de que esse capacitor de compensação está ajustado corretamente.

Se você não calibrar sua sonda na entrada do osciloscópio que estiver usando, poderá introduzir erros significativos de inclinação e amplitude na forma de onda medida. Para falar um pouco mais desse tema, a Melissa da Keysight explica os erros de medição introduzidos por pontas de prova não calibradas. Ela também explica como corrigir esses erros com uma calibração simples. Confere esse conteúdo incrível que vai te deixar sabendo como as pontas não calibradas causam distorção e amplitude imprecisa, as possíveis consequências desse erro de medição e como calibrar facilmente as pontas de prova ativas da Keysight.

Então, aprendeu tudo o precisava sobre esse tema? Aproveita e confere todo o conteúdo e produtos disponíveis no portal Datasonic, pioneiro em equipamentos tecnológicos de ponta que se destaca pela sua diversidade de marcas, modelos e principalmente preços está a sua disposição para que você possa tirar todas as suas dúvidas, comparar preços e por fim, escolher o melhor produto para você. No site é possível encontrar inúmeros modelos de osciloscópios com os mais diversos recursos e configurações e equipamentos relacionados. O portal Datasonic possui um amplo portfólio e um leque de variados produtos, todos à sua disposição. Aproveite e conheça outros equipamentos de medição que irão complementar o seu projeto.

O Portal Datasonic está disponível para você 24 horas por dia, 7 dias na semana. Apenas esperando você vir e conferir toda a tecnologia em equipamentos que disponibilizamos para você e sua empresa. Está esperando o que? Visite-nos agora mesmo.

Acesse: www.datasonic.com.br

Melhore a coleta de sinal no seu osciloscópio: Verifique o carregamento da ponta usando duas pontas de prova

Ponta de Prova de Corrente Alta Sensibilidade Keysight N2820A 3MHz 2Ch 50uA

Realizar a análise dos seus sinais no osciloscópio vai te trazer inúmeras e importantes informações. Dessa forma, o processo precisa ser realizado da forma correta e principalmente respeitando as capacidades e metodologias que o seu aparelho impõe. Contudo, nem sempre conseguimos fazer tudo e por vezes acabamos deixando alguns detalhes passarem que no final farão uma diferença significativa na nossa análise. Por isso, nessa sequência de matérias intitulada Melhore a coleta de sinal no seu osciloscópio, iremos dar dicas dos principais pontos que você precisa se ater durante a sua análise. Nessa matéria falaremos sobre o carregamento da ponta usando duas pontas de prova, você sabe que é isso? Ficou interessado? Então continua ai e boa leitura!

Verificação do carregamento da ponta usando duas pontas de prova

Antes de coletar sinais em um circuito, conecte o terminal de sua ponta de prova em um ponto do circuito e depois conecte a sua segunda ponta de prova no mesmo ponto. Em condições ideais, você não de­veria ver nenhuma alteração em seu sinal. Se perceber alguma alteração, a causa é o carregamento da ponta de prova.

Em um mundo ideal, a ponta do osciloscópio seria um fio não intrusive (com resistência de entrada infinita e capacitância e indutância iguais a zero) ligado ao circuito de interesse e ofereceria uma réplica exata do sinal medido. Mas no mundo real, a ponta passa a ser parte da medição e introduz carregamento no circuito.

Para verificar o efeito do carregamento da ponta de prova, em primeiro lugar, conecte uma ponta de prova ao circuito sob teste ou a um sinal degrau conhecido e a outra extremidade à entrada do osciloscópio. Observe a curva na tela do osciloscópio, salve essa curva e a recoloque na tela para que ela permaneça na tela para a compara­ção. Em seguida, conecte outra ponta do mesmo tipo ao mesmo ponto e veja como a curva original é alterada com a conexão simultânea das duas pontas de prova.

Você pode precisar fazer ajustes à sua ponta ou considerar usar uma ponta de prova com menor carregamento para realizar uma medição melhor. Por exemplo, no caso apresentado, o truque foi reduzir o comprimento do condutor de aterramento. Na Figura 1-1, a ligação da ponta com o terra do circuito é feito com um condutor de aterramento comprido, de 18 cm (7”).

Figura 1-1. Carregamento da ponta provocado por condutor de aterramento comprido

Na figura 1-2, a ligação ao mesmo terra do sinal é feita com um condutor de pressão de menor comprimento. As oscilações parasitas (ringing) do sinal pesquisado (curva em roxo) desapa­receram com o uso do condutor de aterramento mais curto.

Figura 1-2. Carregamento da ponta reduzido com o condutor de terra mais curto

Quer aprender um pouco mais sobre o carregamento da ponta de prova do osciloscópio e como ela pode afetar sua medição? Então junte-se à Ally da Keysight enquanto ela revela esse mistério de investigação do osciloscópio, guiando você pelo básico do carregamento da ponta de prova. Ela explica como o efeito desse carregamento pode alterar o sinal real no seu dispositivo e também pode exibir uma visão imprecisa do sinal. Aprenda a enfrentar esses desafios em potencial com as dicas deste vídeo.

Realizar o carregamento de forma corretada das suas pontas de prova é imprescindível para o sucesso dos seus resultados. Aprendeu tudo o precisava sobre esse tema? Então aproveita e confere todo o conteúdo e produtos disponíveis no portal Datasonic, pioneiro em equipamentos tecnológicos de ponta que se destaca pela sua diversidade de marcas, modelos e principalmente preços está a sua disposição para que você possa tirar todas as suas dúvidas, comparar preços e por fim, escolher o melhor produto para você. No site é possível encontrar inúmeros modelos de osciloscópios com os mais diversos recursos e configurações e equipamentos relacionados. O portal Datasonic possui um amplo portfólio e um leque de variados produtos, todos à sua disposição. Aproveite e conheça outros equipamentos de medição que irão complementar o seu projeto.

O Portal Datasonic está disponível para você 24 horas por dia, 7 dias na semana. Apenas esperando você vir e conferir toda a tecnologia em equipamentos que disponibilizamos para você e sua empresa. Está esperando o que? Visite-nos agora mesmo.

Acesse: www.datasonic.com.br

Melhore a coleta de sinal no seu osciloscópio: Medições flutuantes seguras com ponta de prova diferencial

Realizar a análise dos seus sinais no osciloscópio vai te trazer inúmeras e importantes informações. Dessa forma, o processo precisa ser realizado da forma correta e principalmente respeitando as capacidades e metodologias que o seu aparelho impõe. Contudo, nem sempre conseguimos fazer tudo e por vezes acabamos deixando alguns detalhes passarem que no final farão uma diferença significativa na nossa análise. Por isso, nessa sequência de matérias intitulada Melhore a coleta de sinal no seu osciloscópio, iremos dar dicas dos principais pontos que você precisa se ater durante a sua análise. Nessa matéria falaremos sobre como fazer medições flutuantes seguras com pontas de prova diferenciais. Você sabe como realizar esse processo? Ficou interessado? Então continua ai e boa leitura!

Os usuários de osciloscópios muitas vezes precisam fazer medições flutuantes nas quais nenhum dos pontos de medição tem o potencial de um ponto de terra. Por exemplo, imagine que você esteja medindo a queda de tensão entre a entrada e a saída do regulador UI de uma fonte de alimentação linear. Esses pinos de entrada e de saída do regulador não são referenciados ao terra.

Quando a medição não é referenciada ao terra, é necessário usar uma solução de medição diferencial.

Uma medição padrão de osciloscópio, na qual a ponta é colocada no ponto do sinal e o condutor de terra da ponta de prova é colocado no ponto de terra do circuito, é na verdade a medição da diferença entre o ponto de teste e o ponto de terra. A maior parte dos osciloscópios tem os seus terminais de terra do sinal (ou o corpo externo da interface BMC) conectados ao sistema de terra de proteção. Isso é feito para que todos os sinais aplicados ao osciloscópio tenham um ponto de conexão em comum. Basicamente, todas as medições de osciloscópio são feitas em relação ao ponto de “terra”. Conectar o conector de aterramento em um dos pontos flutuantes essencialmente abaixa o potencial do ponto conectado ao potencial de terra, o que muitas vezes provoca picos ou problemas de funcionamento no circuito. De que maneira você contorna esse problema das medições flutuantes? Uma solução popular, ainda que indesejável para a medição flutuante, é a técnica “A-B”, que utiliza duas pontas de prova de terminação simples e uma função matemática do osciloscópio. A maior parte dos osciloscópios digitais possui um modo de subtração, no qual dois canais de entradas podem ser subtraídos eletricamente um do outro para apresentar a diferença em um sinal diferencial. Para obter resultados decentes, é necessário fazer o casamento e a compensação de cada ponta de prova antes do uso. Nesse método, a relação de rejeição no modo comum tipicamente é limitada a menos de 20 dB (10:1). Se os sinais no modo comum nas pontas tiverem um nível muito alto e o sinal diferencial for muito menor, qualquer diferença de ganho entre os dois lados irá alterar significativamente o seu resultado “diferencial”, ou “A-B”. Uma boa verificação de sanidade aqui seria usar as duas pontas de prova no mesmo sinal e ver o que é mostrado em “A-B”.

Como verificação de sanidade, use duas pontas de prova no mesmo sinal e veja o que é mostrado em “A-B”.

Usar uma ponta de prova diferencial, como a N2790A Keysight, é uma solução muito melhor para fazer medições flutuantes seguras e precisas com qualquer osciloscópio. Tendo um amplificador diferencial na cabeça da ponta, a N2790A apresenta valores nominais de medição de tensão diferencial de até 1.400 VCC + pico CA com CMRR de -70 dB a 10 MHz. Para fazer medições flutuantes seguras e precisas, use uma ponta de prova diferencial que tenha faixa dinâmica e largura de banda suficientes para a sua aplicação.

Ponta de Prova Diferencial de Alta Tensão Keysight N2790A 100MHz

Uma ponta de prova diferencial é uma ponta projetada para medir um sinal diferencial. Mas por que os engenheiros em todos os lugares estão usando sondas diferenciais como ferramentas de medição de uso geral? Nesse vídeo da Keysight Labs, a Ally te ajuda a revelar mais esse mistério investigação do osciloscópio.

Não esqueça dos três valores principais de uma ponta de prova diferencial.

1.  Essas pontas possuem uma alta taxa de rejeição de modo comum.

2. O carregamento da ponta de prova é reduzido quando você está usando pontas de prova diferenciais

3 Essas pontas apresentam maior largura de banda do que as pontas de prova de extremidade única

Aprendeu tudo o precisava sobre esse tema? Então aproveita e confere todo o conteúdo e produtos disponíveis no portal Datasonic, pioneiro em equipamentos tecnológicos de ponta que se destaca pela sua diversidade de marcas, modelos e principalmente preços está a sua disposição para que você possa tirar todas as suas dúvidas, comparar preços e por fim, escolher o melhor produto para você. No site é possível encontrar inúmeros modelos de osciloscópios com os mais diversos recursos e configurações e equipamentos relacionados. O portal Datasonic possui um amplo portfólio e um leque de variados produtos, todos à sua disposição. Aproveite e conheça outros equipamentos de medição que irão complementar o seu projeto.

O Portal Datasonic está disponível para você 24 horas por dia, 7 dias na semana. Apenas esperando você vir e conferir toda a tecnologia em equipamentos que disponibilizamos para você e sua empresa. Está esperando o que? Visite-nos agora mesmo.

Acesse: www.datasonic.com.br